Poliuretano beneficia câmaras frias e traz alternativa sustentável ao mercado

As câmaras frias – ou câmeras frigoríficas – são estruturas com isolamento térmico cuja função é armazenar produtos em uma temperatura estável, que vai desde 18 ºC, para o resfriamento, até marcos abaixo de zero, para o congelamento.

 

É comum que venha à cabeça a imagem de câmaras frias de mercado, usadas para armazenar carnes e frios, mas na verdade também é muito útil para preservar materiais e insumos que precisam ter sua qualidade mantida ou suas características iniciais estabilizadas pelas baixas temperaturas.

 

Dentre os setores que fazem o uso da câmara fria estão, por exemplo, empresas alimentícias, a indústria química, automobilística, hospitalar e a agroindústria.

 

Para respeitar as demandas da cadeia do frio, o poliuretano é uma alternativa versátil e de inúmeras vantagens que, na forma de espuma rígida, atende muito bem esse segmento.

As espumas rígidas de poliuretano são aplicadas nas camadas internas das paredes de uma câmara frigorífica e servem de suporte para manter as temperaturas baixas criadas pelo motor refrigerador.

 

Além das paredes, as espumas também compõem o revestimento dos condutores de gás refrigerante e os componentes da câmara.

 

Pelo seu baixo fator K, o PU se torna a melhor alternativa para segurar a temperatura num nível estável, característica indispensável para ambientes controlados termicamente, como as câmaras frias.

 

Outro ponto que traz destaque para o poliuretano é a sua baixa friabilidade. Ele é um material com resistência a choques mecânicos. Como em grande parte dos casos há circulação de pessoas dentro da câmara fria, não é possível que o material que as reveste seja frágil, caso contrário existiria um constante retrabalho. Além disso, ele evita o consumo exagerado de energia, pois preserva a temperatura e evita que o motor tenha trabalho redobrado.

 

 

Agora apostar em espumas rígidas de poliuretano para câmaras frias também é uma alternativa sustentável! Isso porque, desde 1º de janeiro de 2020, é regra a abolição do uso de HCFC, gás expansor prejudicial ao meio ambiente.

 

A Flexível já tinha consciência desse detalhe e já trabalha há mais de ano com os testes em HFO, nova opção de gás expansor. O HFO é ainda mais eficaz, não é inflamável e, aqui na Flexível, já está devidamente testado e estabilizado. Ele tem o melhor custo-benefício do mercado, suas qualidades podem ser atestadas pelos resultados e pela durabilidade.

 

Diferente do precursor, essa alternativa não apresenta risco ao meio ambiente e não causa danos à camada de ozônio. Todas as fórmulas da Flexível que carecem de gases expansores agora já vêm com o Selo Verde, certificando o uso do HFO e atestando o compromisso com o meio ambiente.

 

Quer conhecer melhor nossas tecnologias em poliuretano para a cadeia do frio e câmaras frias? Acesse mais informações ou entre em contato, estamos prontos para ouvir a sua ideia!

Preencha o campo "Você é"!