Conheça os testes realizados nas espumas flexíveis de PU

Conheça os testes realizados pela Flexível, assim como o objetivo de cada um:

Densidade – NBR 8537

Essa norma estabelece o método para determinação da densidade aparente de espumas flexíveis de poliuretano. Para isso, a massa (peso da amostra) é dividida pelo volume, com o resultado expresso em kg/m³.

 

Deformação Permanente – NBR 8797

Essa norma estabelece o método para determinação da deformação permanente à compressão de espumas flexíveis de poliuretano. O ensaio consiste na medição da diferença entre as espessuras inicial e final de um corpo de prova de espuma flexível. Comprimida a 50% ou 90%, à temperatura de 70° em uma estufa com circulação forçada durante 22h.

 

Teor de cinzas – NBR 14961

Essa norma especifica um método para determinação do teor de cinzas em espumas flexíveis de poliuretano. É um teste no qual é verificado se há produtos inorgânicos na composição da espuma no qual é realizada a queima da espuma e, posteriormente, a incineração dos resíduos da queima em uma mufla a 550 °C. O percentual aceitável é de até 1%.

 

Força de Indentação – NBR 9176

Essa norma estabelece o método para determinação de força necessária para se produzir uma compressão pré-fixada sobre uma amostra de espuma flexível de poliuretano, aplicada sobre uma área especificada.

 

Fadiga dinâmica – NBR 9177

Essa norma estabelece o método para determinação de perda em espessura e também força de indentação de espumas flexíveis de poliuretano, simulando as perdas ocorridas sob condições reais de uso. Funciona assim: colocamos a amostra no fadigômetro, equipamento que comprime a espuma a 70%, fazendo um total de 80 mil ciclos. Em seguida, a amostra descansa por até 30 minutos.

Preencha o campo "Você é"!